Artes e saberes

Crato concluirá cartografia da cultura em 2015

O trabalho faz um levantamento do patrimônio material e imaterial, artístico, com todas as linguagens

00:00 · 21.12.2014
Image-0-Artigo-1763089-1
Banda Cabaçal é uma das manifestações contempladas no mapeamento das artes ( Fotos: Elizângela Santos )
Image-1-Artigo-1763089-1
Os pesquisadores estão identificando atividades já tradicionais, como os grupos de reisados. A meta é possibilitar a consolidação dos talentos existentes e descobrir novos. Na última semana, o grupo esteve na comunidade do Romualdo

Crato. A Secretaria de Cultura desta cidade está desenvolvendo um projeto de mapeamento das manifestações culturais locais. Com isso, pretende-se identificar grupos e práticas culturais, com os saberes e fazeres do município, que é considerado a Capital da Cultura, por meio de decreto estadual. A iniciativa, iniciada em novembro e que se dá em diversas localidades, deverá estar concluída já no próximo ano.

O trabalho vem sendo executado na cidade por uma equipe coordenada pela Secretaria de Cultura, em parceria com instituições técnicas e de ensino superior. A meta é realizar um levantamento dos diversos atores do processo da cultura local e possibilitar a publicação final da Cartografia Cultural do Município, conforme estabelece o Plano Nacional de Cultura. A primeira etapa dos trabalhos será apresentada já no próximo ano.

Segundo a secretária de Cultura do Crato, Dane de Jade, algumas comunidades já foram visitadas e o trabalho terá continuidade sem interrupção no próximo ano. Mas ela destaca que o potencial cultural da localidade é bem mais amplo e diversificado do que se pensa. Para se ter uma ideia, Dane ressalta a importância da própria comunidade na iniciativa, já que se tornará praticamente impossível chegar a todos os lugares para possibilitar esse processo de identificação.

O lançamento das atividades aconteceu em novembro deste ano, e alunos bolsistas da Escola Violeta Arraes, juntamente com as universidades federal e regional do Cariri contribuirão com o processo de identificação, além dos professores e a comunidade.

Segmentos

De acordo com a secretária, essa é a primeira vez que se tenta cartografar o Crato no campo da cultura. "Estamos fazendo uma espécie de levantamento", diz. O mapeamento do Crato, conforme Dane, dará oportunidade de conhecer a cidade nesse setor. Para isso, o trabalho foi dividido nos segmentos do patrimônio material e imaterial, artístico, com todas as linguagens e mais ainda as práticas socioculturais no município.

"A cultura entende que essa dimensão é de fundamental importância para que se mantenham vivas as tradições", destaca. Ela ainda ressalta que diversas práticas de saberes e fazeres socioculturais estão se perdendo por não encontrarem conexão com a contemporaneidade.

O trabalho desenvolvido pelo mestre Cícero Galdino é citado por Dane como uma prática sociocultural de extrema importância. "Um artista que vai estar no segmento, por ser das artes visuais, mas que está inserido no âmbito das práticas socioculturais, por ser um artista que se preocupa com a questão da sustentabilidade", afirma. E essas práticas estão sendo debatidas para a inserção no mapeamento. O exemplo desse artista, conforme a secretária, é como o próprio Galdino traduz, de usar o que não serve mais e transformar a natureza morta em arte.

Inserção

As catadoras de pequi trazem outra importante prática para a região, na área do extrativismo, e serão inseridas no mapeamento. Essa é uma das ações que está se perdendo, das mulheres se reunirem para a cata do fruto em cima da Chapada do Araripe. Hoje, segundo Dane, a quantidade é bem menor que há alguns anos, e o mapeamento irá verificar a dimensão dessa realidade. Será uma forma de ver de perto o verdadeiro potencial do Crato enquanto Capital da Cultura.

Os pesquisadores estão se deslocando em caravanas para as comunidades. Ela disse que há o registro dos grupos de tradição de visibilidade e conhecimento maior do público, a exemplo da banda cabaçal dos Irmãos Aniceto, as mulheres do côco da Batateira, os reisados, mas a meta é possibilitar a consolidação dos talentos existentes e descobrir novos.

Na última semana, o grupo esteve na comunidade do Romualdo. Para Dane, uma área aparentemente pequena, mas onde ocorria uma festa de cultura mensalmente. "Quando chegamos na praça da localidade surgiram cordelistas, artistas visuais, pessoas da literatura", afirma. O diálogo com as comunidades será propiciado por meio desse trabalho. "Que cada uma receba a cartografia e que seja um acontecimento para a identificação dos talentos", diz.

Dane de Jade ainda destaca que as discussões e orientações sugeridas no mapeamento estão estabelecidas também pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Cultura e a Ciência (Unesco). Ela aborda a importância desse projeto no planejamento da administração pública. Além disso, pretende dar a contribuição histórica, social e cultural, na formação da identidade do povo, para servir de base na formulação de marcos legais no município.

Aprovação

Com esse levantamento realizado, a secretária afirma que será possível desenvolver um planejamento eficaz voltado para os grupos e ressalta a contribuição do Sistema Municipal de Cultura, votado e aprovado nesta semana na cidade.

"Com a integração desse sistema com o estadual e o nacional, teremos a possibilidade de criar uma política de fomento, circulação e fruição desses grupos e artistas", ressalta. Já foram visitadas na cidade as comunidades do Belmonte, Romualdo e Monte Alverne. Conforme informou, o material, após a sua consolidação, será divulgado e atualizado de forma permanente. (E.S)

Mais informações:

Secretaria de Cultura do Crato
Largo da Rffsa
Centro
Telefone: (88) 3523-2365

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.