Filho de agricultor

Assentado passa em Medicina

00:00 · 31.01.2016
Image-0-Artigo-2009235-1
O estudante conseguiu entrar na Faculdade de Medicina porque procurou manter o foco nos estudos para chegar ao objetivo ( Foto: Yaçanã Nepomuceno )

Crato. Jovem filho de agricultores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) conquistou uma vaga no curso de Medicina, na Universidade Federal do Cariri (UFCA). Marcondes Guedes, 19, é morador do Assentamento 10 de Abril, no distrito de Ponta da Serra, neste Município.

Durante sua vida de estudante, ele sempre frequentou escolas da rede pública de ensino. Cursou o Ensino Médio no Instituto Federal do Crato e, em 2015, como bolsista, fez curso preparatório para vestibular, em Juazeiro do Norte.

Apesar de viver na zona rural e das precárias condições financeiras da família, desde criança Marcondes tinha o sonho de ser médico. Amigos e parentes próximos não acreditavam que aquele desejo de menino poderia um dia se tornar realidade. Porém, o jovem mantinha o foco. Com muita persistência, ele percorria 29 quilômetros diariamente para assistir aulas no cursinho.

A rotina começava logo cedo, às cinco horas da manhã, quando o jovem pegava o ônibus Ponta da Serra/Juazeiro do Norte para chegar até a cidade vizinha. Já no Evolução Cursos, um preparatório onde a maioria dos alunos é de classe média e alta, o estudante passava o dia inteiro dedicando-se aos assuntos transmitidos pelos professores. Para economizar, o almoço, Marcondes trazia de casa. Depois das manhãs de aulas, ele dedicava as tardes aos estudos individuais e também à revisão de conteúdos junto aos professores.

Exemplo

Para o professor Ivanildo Pinho, a história do jovem é um exemplo para muitos outros estudantes. "Marcondes é o exemplo de que passar em Medicina é possível, desde que haja dedicação e comprometimento. Nós oferecemos a melhor estrutura e ele soube aproveitar. É um guerreiro e tenho certeza que será um excelente médico", diz.

Marcondes fez vestibular apenas duas vezes. Na primeira, ele alcançou pontuação para cursar qualquer um dos cursos oferecidos pela UFCA, porém não efetuou a matrícula, pois a nota não era suficiente para o ingresso no curso de Medicina. Dedicou-se ao sonho e diz que tinha certeza que alcançaria a aprovação tão desejada. O estudante fala que o treinamento em redação foi um dos pontos principais da sua aprovação. Determinado, ele relata que teve muitos motivos para desistir e um deles foram as dificuldades financeiras. "Venho de uma família sem recursos. Essa poderia ser uma desculpa para eu não correr atrás do meu sonho, mas eu sou muito focado. Eu gosto de pensar no que preciso fazer para vencer", conta o estudante.

Confirmação

Com 728 pontos no Enem e sabendo que era cotista, ao buscar a lista de selecionados do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Marcondes confirmou a certeza que tinha dentro de si ao ver seu nome no site. Emocionado, deu a notícia da aprovação à sua mãe e saiu para comemorar com os amigos e professores do cursinho. Agora, ele aguarda ansioso pelo início das aulas, que será em março.

Filho mais novo do casal Andelson Guedes e Terezinha Feliz, o estudante descreve sua infância como difícil. A mãe conta que Marcondes sempre foi diferente dos outros irmãos. "Todos os meus outros filhos são agricultores. Marcondes sempre sonhou com isso. Ele conseguiu essa aprovação com muita dificuldade", comemora.

Nessa trajetória, o jovem aprendeu que respeito e humildade são fundamentais e garante que, como profissional, será humano e retribuirá com serviços à classe a qual pertence. "Estou vivendo um momento fenomenal. Não tenho como explicar minha felicidade. Quero retribuir tudo que recebi", expõe.

Desde o dia da aprovação até hoje, Marcondes só recebe elogios. Ele ainda não conseguiu dormir direito sequer uma noite. Para quem está se preparando e ainda não conquistou uma vaga na universidade, Marcondes dá alguns conselhos. O primeiro é nunca desistir, o segundo é saber o que tem que fazer e agir e, o mais importante, estar de bem consigo e com a vida. (E.S)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.