Mercado

Seguro de motos no Nordeste: apenas 0,65% tem; no Sudeste número chega a 1%

Poucos motociclistas fazem seguro da moto e correm o risco de furto ou roubo ainda pagando financiamento

10:45 · 21.02.2018 / atualizado às 11:57

Dos 5,3 milhões de motociclistas que circulam no Sudeste, apenas 1% tem seguro contratado para a moto. No Nordeste, onde o número de motos supera o de carros, a situação é mais crítica. Somente 0,65% da frota total de motos é segurada, segundo levantamento feito pelo marketplace de seguros Thinkseg.

Sem seguro para a principal meio de transporte deles, a maioria de motoboys e mototáxis – atividade comum aqui no Nordeste –, roda desprotegida, correndo o risco de ficar no prejuízo se houver furto ou roubo da máquina de duas rodas.

O pior é de ter continuar pagando as prestações de financiamento da moto roubada. Em 2017, de todos os financiamentos de veículos contratados no País, 14,3% abrangeram motos, segundo dados da Cetip. No ranking dos estados do Sudeste, São Paulo (23%) e Minas Gerais (8,5%) são os que mais financiaram motos no País. Em três estados do Nordeste, Ceará, Bahia e Pernambuco, as motos representaram 14,21% dos financiamentos.

Na avaliação da Federação Interestadual das Regiões Norte e Nordeste dos Trabalhadores em Transportes de Mototaxistas e Taxistas (Fenordest), o alto preço do seguro afasta os motociclistas da contratação. No Nordeste, motoboys e mototáxis chegam a rodar, em média, 15 horas diárias, por todos os lugares, sendo alvos fáceis para furto e roubo. Em São Paulo, esses riscos também são comuns aos motociclistas.

Preço

Diante do potencial de mercado, a Thinkseg projetou o Thinkseg Moto a partir de R$ 59 ao mês. “Em cinco segundos, a pessoa tem a sua cotação pronta”, completa o CEO da Thinkseg, Andre Gregori.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.