CFC

Sala multimídia é a aposta para engajar jovens que buscam a CNH

Uso de conteúdo digital é avaliado em projeto-piloto

09:09 · 11.09.2017
sala
Objetivo do teste é atingir o público com idade entre 18 e 20 anos através de novas metodologias

Para tornar mais interessantes e tecnológicas as aulas teóricas de direção para quem está tirando a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), um Centro de Formação de Condutores (CFC) de São Paulo desenvolve um projeto-piloto que transformou uma das salas do estabelecimento em um espaço multimídia. Lá o instrutor e os alunos trabalham o conteúdo com o uso de tablets, buscando uma abordagem híbrida com a utilização dos conceitos online e offline.

O projeto piloto no CFC João Dias começou em agosto e terá duração de 90 dias. A ação é uma parceria do estabelecimento com a Procondutor - empresa que desenvolve EAD, conteúdo pedagógico digital, cursos híbridos e plataformas de educação digital.

No período a proposta é trabalhar com a formação de nove turmas em que os alunos têm a média de idade variando entre 18 e 20 anos. Como desafio para lidar com esse público jovem, acostumado com o acesso constante aos conteúdos digitais, o projeto ainda aposta em um instrutor de 60 anos que precisou ser capacitado para entender essa proposta de inovação e, a partir daí, conduzir essa mudança no modo de ensino.

“Essa é uma nova maneira de educar para o trânsito, com objetos e trilhas de aprendizagem em consonância com a modernidade comum ao cotidiano do jovem, trazendo vídeos, infográficos, histórias e quizzes, por exemplo”, explicou a especialista em educação digital e diretora de produtos da Procondutor Claudia Moraes.

Claudia ainda esclarece que há uma orientação e debates diferentes dos temas que são tratados nas aulas. “Adotamos o uso do Google Earth para mostrar as diferenças das vias que abordamos no conteúdo teórico. Ou seja, vai além de apenas ter esse conhecimento, podendo ver o exemplo e tornar o conceito mais claro, aumentando a assimilação da informação. Em resumo: o material apoia o show e o protagonismo que segue sendo do instrutor”.

Diante do sucesso e aceitação por parte da primeira turma que frequentou as aulas na sala multimídia, a especialista adianta que já há o interesse de levar esse conceito para as outras quatro salas utilizadas pelo CFC. “Houve uma aprovação imediata do público”, destacou Claudia.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.