Lançamento

Honda lança nova geração da Fireblade

CBR 1000RR Fireblade chega na versão 2018 com grafismo atualizado e muita tecnologia

15:43 · 12.06.2018
A nova Honda CBR 1000RR Fireblade recebeu atualizações de grafismo das carenagens e está mais leve (redução de 15kg) e 11cv mais potente nesta nova geração, o que assegurou uma relação peso/potência recorde de 14% a mais que o modelo anterior.
 
O modelo traz um projeto onde 90% de seus componentes são totalmente novos em relação à geração anterior, com destaque para um visual mais ousado e jovial, além de novos conjuntos ciclísticos e mecânicos derivados da RC213V-S, versão de rua do modelo RC213 utilizado na categoria MotoGP.
 
Uma das novidades desta geração é o pacote eletrônico, com uma unidade de medição de inércia (IMU) de 5 eixos que faz a análise da moto em todos os planos e comanda o sistema TCS de controle de torque regulável (HSTC), promovendo com precisão a tração enviada à roda traseira. Além disso, tem novo módulo de controle de tração regulável (HSTC) e sistema de seleção do modo de condução da motocicleta (RMSS).
 
Estilo
 
As duas versões são diferenciadas por uma série de componentes em sua estrutura ciclística e mecânica. Externamente, traz linhas que remetem aos modelos de competição da Honda Racing Corporation (HRC). Em toda a concepção do projeto, três premissas foram fundamentais: menor peso, mais potência e controle total.
 
A redução de peso atingiu tal patamar que levou em consideração itens como parafusos e arruelas, além de pequenas peças plásticas, entre outros itens. Na CBR 1000RR Fireblade SP, por exemplo, o escape e tanque de combustível (16 litros) foram desenvolvidos em titânio.
 
As linhas ficaram mais limpas e retas, convergindo a um ponto comum na dianteira da motocicleta, análogo a ponta de uma flecha. Destaque ainda para a rabeta elevada e o assento em dois níveis, com altura de 832mm (834mm SP) itens que caracterizam ainda mais seu DNA esportivo.
 
Desempenho 
 
O motor é o DOHC quatro cilindros em linha de 999,8cm³, 4 tempos e arrefecimento a líquido. São 192cv de potência a 13.000 rpm, com torque de 11,82 kgf.m a 11.000rpm (gasolina). Sua estrutura mecânica é compacta e foi totalmente redesenhada. Ganhou itens produzidos em magnésio, que pouparam 2kg de peso no propulsor.
 
Pistões, comandos de válvulas, tampas e transmissão também foram modificados e têm especificações superiores para um melhor desempenho geral. A compressão aumentou de 12,3:1 para 13:1. Na transmissão, a troca de velocidade ficou mais suave em razão da nova embreagem, com 17% menos força de acionamento em sua operação. O novo sistema de admissão aumentou o fluxo de ar na mistura e também auxiliou no aumento de potência em 11cv.
 
O câmbio possui seis velocidades com a transmissão final feita por corrente. Com injeção eletrônica PGM-DSFI, todo o conjunto da nova CBR1000RR Fireblade já atende à segunda fase do PROMOT 4 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares).
 
Honda CBR 1000RR FIREBLADE
 
Mercado
 
A CBR 1000RR Fireblade estará disponível no mercado brasileiro a partir de junho em toda rede de concessionária Honda Dream. Importada do Japão, ela conta com 3 anos de garantia e conta com 3 anos de garantia e o exclusivo "Honda Assistance 24h", com assistência durante todo o período de vigência da garantia em todo território brasileiro, incluindo Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai.
 
Seu preço público sugerido é de R$ 69.900,00 na versão CBR 1000RR Fireblade, disponível na cor vermelha e R$ 79.900,00 na versão CBR 1000RR Fireblade SP inspirada nas cores de competição HRC (branco, azul e  vermelha), respectivamente, com base no Estado de São Paulo, sem despesas de frete e seguro.
 
Na versão SP, os diferenciais ficam por conta do uso de uma bateria de Li-On, que propicia baixa taxa de descarga e vida útil maior. A transmissão também está equipada com sistema quickshifter, que permite subir ou descer marchas de forma mais rápida, sem necessidade de acionamento no manete da embreagem e consequente prejuízo às partes internas. O tanque, fabricados em titânio e escape, também contribuíram com menos 1.3kg e 2.8kg, respectivamente. O quesito peso ganhou tamanha importância que até o comprimento dos parafusos, tubulações e braçadeiras foram reduzidos ao máximo de forma a priorizar centralização de massas.
 
Na suspensão dianteira, o garfo telescópico da Showa BPF (Big Piston Forks) é do tipo invertido de 43mm de diâmetro, com possibilidade de ajustes na pré-carga da mola e curso de 120mm. Os freios ABS são de disco duplo na frente e simples atrás, com pinças totalmente novas, mais leves e eficientes, com tecnologia das marcas Brembo (modelo SP) e Tokico (Standard). Na dianteira, as pinças estão fixadas de forma radial. Um amortecedor de direção eletrônico Honda (HESD) reforça ainda mais a estabilidade e suavidade.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.