Serviço

5 dicas de atenção ao óleo do motor

Algumas fabricantes indicam a troca a cada 10 mil km, mas isso depende de cada carro. Veja como cuidar desse item fundamental ao funcionamento do veículo

08:10 · 23.01.2018
oleo
Aliado somente a lubrificação, o óleo mantém também o motor limpo e livre de impurezas que podem prejudicar o seu desempenho
Essencial ao bom funcionamento do carro, o óleo do motor ajuda a evitar o desgaste excessivo das peças do motor, contribui para a sua limpeza e a trabalhar na temperatura ideal, além de ser um agente de vedação, que impede que o lubrificante saia do sistema, evitando que elementos de fora o contamine.
 
Por isso, confira abaixo dicas do especialista Fábio Facca, gerente de vendas nacional da Campneus, revendedora Pirelli do Brasil.
 
1) Verifique o nível do óleo: a primeira indicação é verificar o nível do óleo com o motor do carro frio. Com o motor quente, a pressão do motor aumenta o fluxo do óleo, o que pode mascarar a quantidade correta do lubrificante. Existe um limite mínimo e máximo na vareta de medição do óleo do motor. Muito abaixo existe um problema de vazamento, que pode prejudicar o funcionamento e limpeza do sistema, assim como o excesso de óleo, que também pode danificar o conjunto, que não consegue calcular corretamente a quantidade necessária para trabalhar.
 
2) Verifique seu tipo de condução: um mito comum é achar que quilometragem é o fator que gera mais atenção com o óleo. É correto, porém quem roda pouco também deve estar atento. O óleo também possui prazo de validade, então é preciso estar de olho no tempo que foi feita a última troca, para evitar problemas no motor. Quem utiliza o carro em condições mais severas, como anda e para dos congestionamentos, deve verificar a indicação da fabricante.
 
3) Coloração do óleo: Não se assuste com a cor do óleo ao verificar o nível. Se estiver preto, não indica que está velho ou com problemas. O óleo fica preto porque está lubrificando todo o sistema corretamente. A coloração é resultado da limpeza dos pequenos resíduos entre as peças.
 
4) Tipo de óleo: O melhor óleo para o seu veículo é aquele especificado no manual do fabricante. A maioria dos fabricantes indica no mínimo duas especificações de óleo para cada veículo. “Essa indicação nunca é demais. Verifique sempre o manual da montadora e qual óleo e procedimento ela indica. Caso você não saiba, procure centros automotivos especializados que são treinados para atenderem essas especificações e garantir uma manutenção adequada ao veículo”, comenta Facca.
 
5) Lembre-se do filtro: ao realizar a troca do óleo do seu carro, não se esqueça de trocar também o filtro do óleo. “Como o novo lubrificante estará limpo, qualquer vestígio de sujeira presente no filtro velho pode contaminar o novo óleo, prejudicando o seu trabalho e diminuindo a vida útil do motor”, finaliza o executivo.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.