dica

Importância da suspensão para a segurança do veículo

Perda da estabilidade e alto valor para consertar: suspensão deve ter manutenção permanente

Suspensão é o conjunto de peças que sustenta o veículo; objetivo é amortecer as oscilações e imperfeições do asfalto. Os amortecedores trabalham em conjunto com molas, pivôs, buchas e barras de sustentação ( Fotos: Arquivo )
00:00 · 26.02.2018 / atualizado às 02:50 por André Marinho - Editor
Se não ocorrer nada de anormal, como batida, os componentes da suspensão sujeitos a desgaste devem ser trocados entre os 50 e os 70 mil km ; tudo depende da região em que o carro roda: se houver mais buracos, a suspensão será trocada mais cedo

A história se repete e mesmo assim, alguns motoristas continuam errando. Aquele ruído dentro do carro, quando o veículo passa por ondulações ou buracos não deixa dúvidas: a suspensão está com problemas.

Todo veículo é formado por uma série de sistemas mecânicos que trabalham em conjunto. Para garantir seu bom funcionamento, é preciso dar a devida atenção a cada um deles. Um dos conjuntos que exige um acompanhamento constante é a suspensão do carro, e vale a pena manter a oficina e os mecânicos preparados.

A falta de cuidados com esse sistema pode causar diversos problemas, resultando em desgaste excessivo e irregular dos pneus e até mesmo em problemas na direção.

O consultor de mecânica Leonardo Mendonça, diretor da Auto Center GTS, explica que é fundamental conhecer o conjunto de peças que forma a suspensão do carro e como cada uma funciona para evitar o chamado "efeito dominó", ou seja quando uma peça da suspensão pode prejudicar as outras. Vamos começar pelos mais famosa:

Amortecedor e mola

Essas peças trabalham em conjunto para amenizar as irregularidades do asfalto e reduzir a força do impacto que é transmitida para o veículo. São partes importantes do sistema de direção, por isso seu desempenho é fundamental para uma direção segura.

Braço oscilante

Funciona como um apoio entre a coluna de suspensão e o chassi. A coluna é articulável, então precisa de uma boa movimentação - que é garantida pelo braço oscilante. Por isso fique atento a qualquer variação ou barulho que essa peça pode ter.

Pivô de suspensão

Sua função é auxiliar a coluna de sustentação em sua movimentação, para cima e para baixo, permitindo que o braço oscilante alcance o ângulo necessário.

Barra estabilizadora

Trata-se da ligação entre as colunas de suspensão e é responsável por promover a estabilidade do veículo. Tem conexão com a carroceria feita por buchas e com as colunas por meio de bieletas.

Como identificar problemas

É comum que um motorista leve o carro à oficina sem saber explicar exatamente o problema. Isso sem contar aqueles que só buscam apoio mecânico quando o carro não pega ou quando a peça já está danificada. No fim das contas, é importante diagnosticar com precisão qual o problema para saber a melhor forma de corrigi-lo. Os indicadores mais comuns de que há algum problema são ruídos e barulhos estranhos na suspensão. Se a direção está muito barulhenta, alguma das peças citadas acima pode estar desgastada - muitas vezes, mais de uma delas.

Dirigir com a suspensão danificada pode aumentar os problemas já existentes, tornando necessária a substituição de mais de uma peça.

Dicas vão fazer com que sua suspensão dure mais.

4

Consultor em mecânica Leonardo Mendonça explica que problema em uma das peças da suspensão de um veículo pode causar o chamado "efeito dominó" e prejudicar outras peças, daí a importância da manutenção preventiva. Foto: André Marinho. 

Substituir peças

Se o sistema apresenta algum problema e você verifica que alguma peça está desgastada, o melhor a fazer é substituí-la. Caso contrário, é possível que o problema piore, danificando outras peças e o conjunto como um todo.

Manter o alinhamento

A falta de alinhamento causa não só danos aos pneus, mas também atrapalha a direção e coloca em risco a segurança dos ocupantes. Além disso, ela faz com que a suspensão faça um esforço excessivo, podendo ser danificada.

Inspeção periódica

É essencial conscientizar os motoristas quanto à importância de levar o carro, periodicamente, para inspeção. Isso faz com que os problemas sejam identificados com antecedência e, consequentemente, danos maiores são evitados.

Acompanhar o desgaste

Assim como acontece com quaisquer outras peças de um sistema automotivo, o conjunto da suspensão apresenta um desgaste natural causado pelo uso. Por isso, eventualmente, as peças precisarão ser substituídas. O acompanhamento é fundamental para garantir que essa substituição seja feita no prazo correto.

3

Na chuva, suspensão é mais sacrificada; é essencial passar por buracos e valetas em velocidade baixa; o peso também influencia na vida útil da suspensão. Quanto mais peso o motorista carregar, mais rápido será preciso trocar as peças. 

Cuidados simples no dia a dia

Imprevistos sempre acontecem. Ainda assim, a maioria dos problemas mecânicos em veículos podem ser prevenidos com cuidados diários. Promover uma cultura na qual o condutor esteja sempre atentos a ruídos na suspensão ou mesmo desconforto ao dirigir é fundamental nisso.

Tipos de suspensão

Existem vários tipos de suspensão e de mola. A suspensão que está na maioria dos carros nacionais é a Mcpherson, que possui maior altura, molas helicoidais (aquelas com cara de mola mesmo) e amortecedores telescópicos. Geralmente, é usado no eixo dianteiro.

Custo de peças

Cada peça tem seu preço e a variação depende do carro. O amortecedor pode custar de R$ 140 a R$ 800. Cada mola pode custar de R$ 80 a R$ 180. Pivôs e buchas variam de R$ 120 a R$ 350.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.