Fique tranquilo ao instalar alarmes de segurança no carro - Auto - Diário do Nordeste

Segurança

Fique tranquilo ao instalar alarmes de segurança no carro

28.03.2012

Instalação pode durar de 30 minutos a duas horas, depende do equipamento
Instalação pode durar de 30 minutos a duas horas, depende do equipamento
FOTO: LC MOREIRA
A integração de serviços e maior comodidade são as maiores investidas do segmento de alarmes automotivos

A tecnologia está a favor da segurança dos veículos automotivos e comodidade dos seus condutores e passageiros.

A ideia é compactar funções em um mesmo aparelho. Sendo assim, em um mesmo controle pode-se ter acesso desde o travamento básico das portas com o acionamento do sensor sonoro de violação do bem protegido, até mesmo enviar mensagens com orientações sobre o funcionamento do ar condicionado ou do botão de pânico, ainda que se esteja longe do automóvel.

O FKB 702, com sistema de alarme GSM, possibilita ao motorista, por meio de um chip convencional de celular, enviar e receber mensagens de emissão de funções, como até mesmo ligar o veículo.

"Qualquer dano ou problema que o carro tenha, o alarme avisa que o carro está sendo violado. Esse mais moderno, por sinal, você pode até desacionar o alarme através do próprio telefone quando perceber que foi apenas um acidente", acrescenta o gerente da empresa O Borrachão, Vital Rocha.

Há também o sistema remoto de bloqueio do veículo independente de onde ambos estejam, que pode ser feito até mesmo de um orelhão. Outro destaque é o botão de pânico, que avisa, por meio de uma mensagem de socorro, para os três números cadastrados no chip que, por exemplo, está havendo um sequestro.

Além disso, com seu acionamento, um microfone oculto é ligado para que as pessoas contactadas possam escutar o ambiente interno do veículo. O valor do aparelho é de R$ 719,93.

"As pessoas ainda estão bem tímidas com relação a instalação desse acessório, até pelo custo ser mais alto e por às vezes não entender o funcionamento dele. Esse trabalho de prevenção, as pessoas estão acordando mais de pouco tempo para cá. Mas, há uma tendência desses alarmes ganharem volume de venda e baratearem mais no futuro", afirma Vital.

Esse acionamento de ações pelo celular, substitui os botões de funções do controle, que são programados geralmente para mexer nos vidros, abrir o porta-malas, desligar as luzes ou até mesmo abrir o portão de casa.

Como serviços extras, há também o alerta de velocidade disponível na Kostal, programado para disparar um bipe quando o automóvel atingir o valor pré-programado.

Outra comodidade é o sensor de presença, característico do Pósitron PX, que custo, em média, de R$330,00 a R$359,00

A tendência também, segundo Vital, é a personalização dos aparelhos aos veículos. "Até então era utilizados muitos universais. Mas, por exemplo, a FKS desenvolveu modelos específicos para Fiat, Peugeot e Hyundai, utilizando a engenharia do próprio veículo. O custo é mais caro, porque normalmente qualquer equipamento que você trabalha com exclusividade, paga-se um preço maior. Mas, em compensação, dificilmente o alarme vai trazer algum dano ao veículo ou problema na instalação", justifica.

Indo além do pacote convencional do alarme, a orientação de um dos sócios da Yakamotho, Rubens Castelo Branco, é instalar os interruptores de capô e de porta-malas, pelo valor extra de R$ 20,00. "Quando você não coloca, na hora em que o ladrão abre o capô para cortar o cabo da bateria para desligar o alarme, não soa o aviso sonoro. Com essa instalação, caso ele levante o capô, o alarme dispara e já afugenta a pessoa", afirma

Custos extras

As instalações nas empresas são feitas de forma gratuita. No entanto, quando o produto não é comprado em seu estabelecimento, a cobrança varia de R$ 60,00 a R$ 80,00. A duração do serviço depende do modelo do automóvel e do alarme instalado, podendo chegar de trinta minutos até uma hora.

Depois de colocado, a garantia de um a três anos extingue-se, porém o aparelho mantém-se íntegro durante quase toda a vida do carro. É mais fácil o proprietário trocar de carro, do que haver problema com a durabilidade do aparelho. "Como o alarme fica condicionado em um parte longe de umidade, calor e outras intempéries, a vida útil é longa. Teve história aqui de chegar um Santana 1994, com alarme original funcionando", lembra Vital.

O que geralmente surge como contratempo é o controle. Por motivos de queda, mau uso ou bateria fraca, ele para de funcionar. O preço de uma novo controle é de R$ 50,00 a R$ 60,00 e da reposição da bateria é de R$ 3,00 a R$ 10,00.

Segundo Vital, a bateria pode durar um ano, mas dependendo da quantidade de vezes usado e também se há sensor de presença, o tempo pode ser reduzido para até quatro meses. "Um representante comercial, que passa o dia utilizando o alarme, a vida é bem menor. É o mesmo funcionamento de uma pilha", explica o gerente.

Se caso perceber que a luz está fraca ou, a cada dia, a distância do condutor até o carro para acionar o produto ficar menor, é sinal que o controle está com problema. A orientação é resolver logo, antes que um dia, mesmo apertando forte o botão, o alarme não desative. Outra dica ainda é comprar uma bateria extra embalada e deixar guardada dentro do veículo para uma emergência.

Curiosidade

De acordo com Rubens, é muito frequente as pessoas comprarem um carro e acreditarem que já possuem um aparelho de fábrica. "Tem gente que acredita que tem alarme porque a chave vem com um controle e por o carro piscar as luzes ao abrir e fechar o carro, mas isso não significa que tem. Toda Hilux, por acaso, não vem com alarme de fábrica, nem aquelas que são R$ 143 mil ou a SW4, de R$ 170 mil, vem de fábrica. O que elas têm é o acionador das travas", lembra.

Mais informações:

Yakamotho
Av. Heráclito Graça, 1444
Aldeota
Tel: (85) 3261-6175

O Borrachão
Rua Barão do Rio Branco, 2136
José Bonifácio
Tel: (85) 3252-4488

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999