Você sabe o que é uma bieleta?

Importante para a segurança do automóvel, confira recomendações sobre revisão e troca do componente

Ela tem a função de estabilizar o veículo, especialmente em curvas e terrenos desnivelados. O componente é quem faz a ligação da barra estabilizadora ao sistema de suspensão, proporcionando maior controle do carro em situações de inclinação. Segundo Juliano Caretta, coordenador de Treinamento Técnico da Monroe Axios, elas devem ser inspecionadas conforme recomendação da montadora, a cada 10 mil quilômetros ou quando a suspensão apresentar algum tipo de problema. “Se constatado o defeito na peça, a substituição deverá ser imediata”, recomenda.
 
Alguns sinais indicam que a bieleta pode estar com problemas. Coifa danificada ou rasgada, pino esférico com folga, ruídos como rangidos ou estalos e corpo empenado ou torto são indícios de que o componente precisa ser trocado.
 
Cuidados na aplicação
 
Conforme o especialista da Monroe Axios, no momento da substituição da bieleta, o primeiro cuidado a ser tomado é a checagem da aplicação do produto. “Muitas peças têm a aparência parecida, mas possuem aplicações diferentes. Esse cuidado é essencial para o bom funcionamento do componente e segurança do veículo”, explica.
 
Ferramental apropriado
 
Outro fator importante é não utilizar ferramentas inapropriadas para a montagem da bieleta. “Alguns profissionais fazem uso da máquina pneumática, o que não é indicado, pois é comum que o giro excessivo da ferramenta danifique a peça”, comenta Juliano Caretta que complementa: “dependendo do tipo de dano causado, o produto pode até perder a garantia, causando prejuízos aos profissionais da reparação”.
 
Movimento da bieleta
 
Para que a bieleta esteja em pleno funcionamento desde a aplicação no veículo, é importante que o reparador faça uma movimentação dos pinos esféricos da peça, para frente e para traz e também para os lados, antes da instalação. “Essa manobra tira a tensão de montagem do componente e, principalmente, lubrifica os pinos esféricos, melhorando sua movimentação desde os primeiros minutos de uso”, pontua.
 
Peças de qualidade
 
O uso de componentes de qualidade evita o retrabalho do reparador, economizando tempo e dinheiro das oficinas, além de agregar confiabilidade ao serviço. As bieletas Monroe Axios, por exemplo, possuem diversas tecnologias que garantem mais desempenho e durabilidade às peças. “Corpo de aço carbono com dureza controlada, mancal de nylon de engenharia com alta resistência e durabilidade, pino esférico com acabamento controlado que garante melhor movimentação dentro do mancal e retentor feito de borracha nitrílica, que apresenta alta resistência a derivados do petróleo como graxa, óleo e outros produtos, são alguns dos diferenciais que fazem dos nossos produtos referência no mercado”, exemplifica Juliano Caretta.