Comprar do jeito certo

Entenda como trabalha o personal shopper e os benefícios que ele pode trazer para o seu dia a dia.

CONSUMO

Sabe quando você percebe que aquela compra não era tão necessária ou não atendeu exatamente sua necessidade? Ou mesmo quando você estourou o orçamento, só porque não soube onde garimpar os melhores preços? Quem conhece bem esse sentimento é o personal shopper, um profissional especialista em encontrar as melhores oportunidades de compra. Entenda como esse profissional trabalha e os benefícios da sua atuação para gerenciar a imagem dos clientes.

Consumo consciente
Embora o personal shopper possa ser contratado para compras diversas, no Brasil, este é um trabalho muito mais associado à compra de roupas, acessórios e itens de beleza e pode ou não ser oferecido por um consultor de imagem. “Na consultoria de imagem pessoal, muitas vezes, a sessão de compras é feita dentro de um processo maior de consultoria, mas ele pode ser contratado isoladamente para suprir uma demanda específica, como compra de roupas e acessórios para eventos ou viagens ou até para a busca de peças que complementem o guarda-roupa do dia a dia”, explica Joana Montenegro, Consultora de Imagem Pessoal e
Personal Shopper. 

Etapas
Como explica Joana Montenegro, em geral, o trabalho do personal shopper tem três etapas: a entrevista para entender as demandas do cliente; a fase em que, sozinho, o profissional faz a pesquisa, a seleção e a reserva prévias das melhores oportunidades e, por fim, o momento da compra com o cliente. “Para ser um bom personal shopper, é importante que essa pessoa tenha o domínio técnico do assunto, pois é por meio da indicação desse profissional que o cliente vai ou não economizar dinheiro.  É importante que goste de pesquisar oportunidades – logo, é necessário paciência –, tenha disposição física, já que em uma
sessão de compras chega-se a andar de 6 km a 9 km, dependendo do interesse do cliente. Mas também que desenvolva habilidades como criatividade, inteligência emocional, orientação para servir o outro e capacidade de escutar, porque a compra deve agradar e estar alinhada aos interesses do comprador e não aos do personal shopper”, orienta a especialista. 

Vantagens
Especificamente na consultoria de imagem, o personal shopper orienta o cliente a comprar de uma nova forma. A experiência de consumo é toda voltada para
os valores que se deseja comunicar com sua imagem pessoal. Mas este profissional também pode ajudar quando as compras são para terceiros. “Em uma época
como o Natal, em que costumamos presentear mais pessoas de uma só vez, contar com um especialista facilita a vida. Imagina quantas brigas podem ser  evitadas, através da contratação de um profissional que tem ferramentas suficientes para entender qual pode ser um presente verdadeiramente 
interessante”, avalia Joana Montenegro.
Como aponta a consultora, contar com o serviço de um personal shopper tem entre as vantagens acabar com as compras por impulso, o que pode levar a uma economia de dinheiro, evitar compra de peças que nunca serão usadas e manter-se dentro do seu orçamento. “No processo de conhecer o que faz mais sentido
para si, contar com um profissional especializado é um facilitador e um aprendizado que pode ser levado para a vida toda”, reflete.

Dicas
Para comprar melhor:


• Conheça o que já tem, para evitar comprar mais do mesmo;
• Saia de casa alimentado e descansado para as compras;
• Entenda qual área está precisando mais de renovação, para direcionar recursos e energia para onde necessita de mudança;
• Faça pesquisas de inspirações, para compreender melhor como devem ser as novas aquisições;
• Faça uma lista de prioridades, para saber o que é vantagem comprar agora e o que pode esperar mais um pouco;
• Faça uma lista de lojas onde possivelmente encontre o que deseja. Isso ajuda a manter o foco e controla a ansiedade na hora das compras;
• Faça uma pesquisa on-line de preços para saber quais lojas vale visitar;
• Escolha três ou quatro estabelecimentos e evite ficar andando aleatoriamente: isso cansa e pode comprometer as decisões de compras;
• Mantenha o foco: os estímulos de consumo são muitos e podem ser sutis, quando você menos espera foi influenciado e teve seu orçamento comprometido;
• Quando encontrar o que deseja, veja se, de fato, atende todas as suas demandas. Se sim, peça para reservar e siga para a próxima loja;
• Não compre na primeira loja selecionada, mas depois de ter conferido tudo que poderia conseguir nas demais escolhidas. Assim, você pode acabar obtendo melhores descontos e formas de pagamento mais facilitadas;
• Antes de tirar o dinheiro da carteira, deixe a emoção baixar, reflita se aquela é escolha mais certeira e só então conclua sua compra;
• Conheça bem a política de troca da loja para evitar problemas;
• Se for um presente, avalie os hobbies, as paixões e os prazeres do presenteado. Não é você quem deve gostar do presente, mas a pessoa.

Fonte: Joana Montenegro