Testamos o Ford Ka Sedan

Com um esperto motor 1.5l, flex e transmissão automática com 6 velocidades e conversor de torque, Ka se garante

foto
Bagageiro bom Versão com porta-malas maior do Ka tem bom espaço interno também

Quando a família se decide por um carro sedan, são muitas opções. O bolso fala mais alto muitas vezes, principalmente se for um sedan de entrada.

Com o sucesso do hatch Ka, que está sempre entre os três mais vendidos no Brasil, a Ford decidiu apostar também em sua versão com grande bagageiro.

O Ka sedan tem opções com motor 1.0 ou 1.5. Testamos durante uma semana a versão 1.5l, automática. Esta configuração traz como diferencial em comparação com o SE 1.5 MT, a nova transmissão automática de seis velocidades com conversor de torque, além de controle de cruzeiro (o famoso piloto automático). Há ainda rodas de aço de 15 polegadas com calotas, em substituição ao conjunto de 14 polegadas.

Na linha 2019, o Ka ganhou aços de alta resistência em parte da estrutura e reforços adicionais nos pilares e no teto, que tiveram um aumento de 1,2 mm de espessura. Além disso, as versões mais completas passam a vir com seis airbags. Esse pacote de melhorias deverá garantir uma avaliação melhor nos próximos crash testes do modelo.

No interior, o destaque fica por conta da nova central multimídia Sync 3, que conta com uma tela sensível ao toque de 6,5 polegadas cheia de funções, compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay e câmera de ré.

O compacto da marca americana, feito em Camaçari-BA, tem motor Dragon 1.5 de até 136 cavalos, transmissão automática, estrutura mais rígida, versão Titanium, seis airbags, mais itens de série e outros melhoramentos, que visam deixa-lo mais atrativo, seguro, econômico e boa performance.

Outra novidade é um novo revestimento acústico para isolamento do habitáculo, reforço estrutural da carroceria com mais ações de alta resistência, aumentando a rigidez torcional em 5,3% no hatch e 9,2% no sedan, por exemplo, além de ampliação da espessura de vigas e chapas em 1,2 mm.

Para-brisa acústico e buchas da suspensão com nova calibração também fazem parte das alterações no Ford Ka 2019. Coxins hidráulicos foram adicionados no motor 1.5 Ti-VCT.

O objetivo é reduzir ruídos internos e vibrações, necessários quando se usa motores de três cilindros. A engenharia da Ford conseguiu seu intento.

O carro recebeu também nova calibração da suspensão, assim como ajustes na direção elétrica, que agora é variável e dotada de sistemas PDC (atenuador de torque no volante em inclinação lateral) e ANC (atenuador de vibração no volante em ondulações).

O Ford Ka 2019 vem com controles de tração e estabilidade, além de assistente de partida em rampa. Na versão Titanium, o compacto ganha airbags laterais e de cortina. Este também oferece botão de partida e entrada sem uso da chave.

Em relação ao consumo, no novo 1.5, a média fica em 13,5 km/l com tempo de 9,9 segundos. O Ka Sedan 1.5 faz 12,2 km/l e obtém 10,6 segundos até 100 km/h.

Com conversor de torque, a caixa (inédita no modelo) é exatamente a mesma oferecida no EcoSport. A suavidade das trocas surpreende, assim como o casamento com o motor. Aliás, essa é outra novidade. Agora, o que está sob o capô das versões mais potentes do Ka Sedan é o motor Dragon 1.5 Ti-VCT de três cilindros, com partida por botão.

Com a mudança, a potência máxima saltou de 110 cv para 136 cv, quando abastecido com etanol, apenas 1 cv a menos que no EcoSport. Nada mal para um carro mais leve. E o propulsor agora conta com coxins hidráulicos, para amenizar a vibração.

A transmissão agrada pela suavidade e respostas, embora fique devendo as borboletas no volante presentes no EcoSport. Há trocas apenas pelos botões na manopla da alavanca, um toque pouco prático e que acabará levando o motorista a deixar a transmissão fazer o trabalho dela. Como a maior parte dos concorrentes sempre vem com a caixa automática nesta faixa de preço, é inevitável imaginar que o Ford vai ampliar a sua participação no segmento.

Além dos novos coxins, a suspensão foi recalibrada para absorver melhor os impactos e agora possui stop hidráulico no conjunto dianteiro, recurso que evita que o amortecedor chegue ao final do curso com batidas secas. Materiais absorvedores de ruídos também foram aplicados sem muita parcimônia.

Ao volante, o torque máximo de 16,1 kgfm a 4.750 rpm (antes, 14,9 kgfm) garante bom comportamento ao três-volumes, porém, mesmo sendo o mais rápido no zero a 100 km/h (10,6 segundos declarados) entre a concorrência, as retomadas não são das mais vigorosas entre os sedans de entrada.

Em resumo, uma excelente opção em seu segmento, o Ka sedan tem atributos para conquistar fãs pelo Brasil. Seu preço? R$ 70 mil.

Ficha técnica

Motor: 1.5 l, flex, 3 cilindros
Potência: 128 cv (GASolina)/136 cv (etanol) a 6.500 rpm
Torque: 15, 6 kgfm (gasolina)/16,1 kgfm (etanol)
Transmissão: automática, 6 velocidades
Consumo na cidade: 7,8 km por litro com álcool e 11 km por litro com gasolina
Consumo estrada: 10,1 km/l com álcool e 14,2 km/l com gasolina
Direção: elétrica
Pneus: 195/55 R15
Tanque: 51 litros
Peso: 1.135 kg
Porta-malas: 445 litros
Preço: R$ 70 mil