Ford apresenta câmera de ré de nova geração

Modelo vem com visão de 180 graus da traseira e frenagem autônoma

camera de ré da ford
A Ford apresentou na Europa uma nova geração de câmera de ré que oferece uma visão de 180 graus da traseira do veículo e aciona os freios automaticamente ao detectar obstáculos, com o auxílio de radar. A tecnologia foi lançada junto com o novo Focus no mercado europeu.
 
Instalada acima da placa de identificação do veículo, a nova câmera permite ao motorista observar na tela do painel a movimentação de pedestres, ciclistas e outros veículos de forma ampla, cobrindo áreas normalmente fora do seu campo de visão. Para completar, sensores de radar monitoram a área atrás do carro e geram um alerta quando automóveis e motocicletas se aproximam. Nesse caso, se o motorista não tomar nenhuma ação o sistema aplica os freios automaticamente para evitar colisões.
 
 
Uma pesquisa recente da Ford mostrou que, das cinco manobras consideradas mais difíceis pelos motoristas, quatro envolveram a ré. A quinta é sair de frente em áreas de estacionamento.
 
A nova tecnologia se junta a outros recursos semiautônomos de assistência ao motorista da marca, que contribuem para tornar a direção mais segura e tranquila. Como, por exemplo, o sistema de monitoramento de ponto cego e tráfego cruzado, o piloto automático adaptativo, o sistema de permanência em faixa e o alerta de colisão com assistente autônomo de frenagem e detecção de pedestres, já oferecidos em modelos no Brasil.
 
Segurança
 
A câmera de ré vem se popularizando em todo o mundo como item de segurança. Tanto que os Estados Unidos acabam de tornar o seu uso obrigatório em todos os carros novos vendidos no país, por determinação da autoridade nacional de segurança no trânsito (NHTSA – National Highway Traffic Safety Administration). A lei foi aprovada pelo congresso norte-americano em 2008 e a sua regulamentação ocorreu somente em 2014, para entrada em vigor a partir deste mês.
 
O objetivo é evitar acidentes, especialmente com crianças e idosos, que são as principais vítimas de atropelamentos em manobras de ré ao cruzar o ponto cego do motorista. Dados de 2007, usados na aprovação da lei, indicavam que só naquele ano 221 pessoas foram mortas e 14.000 ficaram feridas nesse tipo de ocorrência nos Estados Unidos.