Citroën revela detalhes de seu novo SUV

Batizado de Cactus, terá motor 1.6 com 16 válvulas e 173 cv de potência

cactusos

A marca francesa Citroën adiantou informações sobre motor e tecnologias de segurança ativa que estarão em seu novo SUV, o Cactus nacional. Ele começa a ser fabricado e vendido no Brasil no segundo semestre deste ano, provavelmente entre setembro e outubro. Construído sobre a mesma plataforma dos demais carros do Grupo PSA produzidos em Porto Real (RJ) – Citroën C3 e Aircross e Peugeot 208 e 2008 –, o Cactus terá disponíveis sistemas de frenagem automática, alerta de mudança de faixa e monitor de fadiga do motorista. 

Confirmado que o Cactus terá o motor 1.6 THP (Turbo High Pressure) 16V bicombustível turbinado de 173 cv (com etanol), montado na fábrica argentina do grupo, e câmbio automático sequencial de 6 marchas da Aisin. Este mesmo powetrain já equipa boa parte dos modelos Peugeot e Citroën feitos no Brasil e na Argentina, mas a fabricante omite se esta será a única opção, pois o Grupo PSA tem outras possibilidades de motorização e transmissão, tanto aqui (motor 1.6 aspirado de 122 cv) como na Europa (1.2 turbo). 

É bastante provável – como costumam fazer todos os fabricantes por aqui – que os dispositivos de segurança ativa sejam opcionais ou incorporados ao preço somente das versões mais caras da gama do Cactus. A Citroën informa que o carro terá disponíveis quatro sistemas avançados de assistência ao motorista (ADAS, na sigla em inglês) que até agora no Brasil são oferecidos “somente em carros de categoria mais elevada”. São eles: 

Active Safety Brake – Sistema de frenagem automática que intervém após alerta de colisão iminente, se não for detectada reação do condutor. O acionamento autônomo de emergência dos freios até a parada total evita ou reduz danos de batidas ou atropelamento de pedestres. 

Alerta de Saída de Faixa – O sistema monitora a marcação da faixa de rodagem na pista e alerta o motorista para qualquer mudança involuntária sempre que a seta (pisca-pisca) não for ativada. 

Alerta de Atenção ao Condutor – Por meio do monitoramento e análise do comportamento do motorista, o sistema emite aviso sonoro e visual em caso de fadiga ou queda de vigilância na condução. 

Coffee Break Alert – Sinaliza quando é hora do condutor fazer uma pausa após dirigir por duas horas em velocidades superiores a 70 km/h. 

Além dos sistemas citados, a Citroën também promete que o Cactus terá controle eletrônico de estabilidade (ESP), assistência de partida em rampa (Hill Assist) e Grip Control, já usado no 2008, que melhora a aderência em terrenos mais difíceis que um SUV urbano frequenta muito raramente. 

Com o C4 Cactus, a Citroën promete um carro com visual de SUV comportamento dinâmico de um sedan ou perua – mais para um crossover, portanto, ainda que essa classificação tenha caído em desuso. Preço ainda não revelado.