RESPONSABILIDADE CULTURAL

Por que investir em Cultura?

04:15 · 30.12.2005
( )
O que significa e para que serve um Selo de Responsabilidade Cultural? O que ganha uma empresa ou um empresário que investe em cultura, esta palavra meio vaga, de difícil definição, que ora se concretiza pelas mãos do artesão, ora pelo talento do cozinheiro, ora pela beleza de uma igreja ou do casario de uma cidade qualquer? Mas afinal, vale a pena apostar em um bem tão intangível como o é a cultura?

Façamos aqui um breve exercício. Num mundo em que tempo e informação valem ouro e que estamos sempre com a sensação estressante de desconhecermos algum dado ou alguma informação importante para as nossas vidas e o nosso trabalho, o que ainda nos resta que tem o condão de nos fazer parar, de nos fazer sonhar, de nos emocionar?

Permitam-me responder esta pergunta por todos vocês. Terá sido por acaso um espetáculo de dança, teatro ou música? Um bom filme? Quem sabe a leitura de um bom livro? Ou ainda a visita de um belo museu ou simplesmente o passeio para admirar a arquitetura de uma cidade? O que dizer do prazer de degustar uma boa cachaça ou um bom vinho, provar um bom prato, guardar para sempre uma bela peça de artesanato?

A Secretaria da Cultura do Ceará, no Governo Lúcio Alcântara, compreende o papel da cultura como um instrumento estratégico de desenvolvimento regional e de transformação do social. É por isso que necessitamos de todos (empresários, cientistas, operários, intelectuais, artistas, trabalhadores, estudantes, lideranças) para que possamos dar à cultura o seu devido lugar em nossas vidas já que devemos tanto a ela.

Somos um Estado de inequívoca vocação turística e cultural. Se ainda somos pobres no que tange a nossa economia, somos absolutamente ricos quanto aos nossos dotes culturais. E por que não transformar estas aptidões em emprego e renda? Por que não transformar o Ceará a partir do seu potencial para os serviços turísticos e culturais?

A política pública deste governo, que concebe cultura como gestão, auto-estima, empregabilidade e cidadania, se consolida com a segunda edição deste Selo de Responsabilidade Cultural. Um selo que representa um divisor de águas no fomento à cultura neste Estado, nos permitindo compreender a distinção necessária entre ação social e ação cultural. Ele serve de norte para o empresariado no sentido de orienta-lo e mostrar-lhe as repercussões do marketing cultural na imagem de suas organizações.

Se hoje a responsabilidade social tornou-se meta natural das empresas no mundo, se hoje falamos com desembaraço da responsabilidade ambiental das empresas, por que não definirmos de forma clara a responsabilidade cultural das organizações?

No Brasil, bilhões de reais poderiam estar sendo utilizados para o fomento e a promoção da cultura. Vale repetir este dado, hoje divulgado nas diferentes mídias: das 188 mil empresas no País que optam pela tributação em regime de lucro real somente 4.349 empresas investem em cultura através das leis estaduais e federais de incentivo.

Como se justifica tão baixo investimento? De um lado, pelo desconhecimento das empresas, de outro, por considerarem que a utilização das leis de incentivo é difícil, burocrática e perigosa para os negócios, permitindo que as mesmas sejam devassadas pelo fisco. Este é um dos mitos absurdos que sombreiam o fomento a cultura neste País e que o Selo de Responsabilidade Cultural tem por finalidade desconstruir.

O Selo de Responsabilidade Cultural - 2005 consolida e reafirma o reconhecimento às organizações cearenses que assumem uma postura de vanguarda, percebendo a importância do desenvolvimento cultural para a sociedade e para sua imagem institucional.

E é com grande alegria que hoje constatamos a repercussão deste projeto inédito no Brasil, quando a Paraíba resolve criar o Selo de Responsabilidade Cultural para premiar as organizações que investem na cultura do seu Estado, quando o Ministro Gilberto Gil assume publicamente o interesse de replicar este projeto nacionalmente.

Viva os cearenses e sua cultura. Viva todos aqueles que apóiam e acreditam na sua cultura.

Cláudia Leitão
Secretária da Cultura do Estado do Ceará

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.