Filme

As várias faces de Giovanna

Emendando mais um filme em sua carreira, que há pouco começou a enveredar pelo cinema, a atriz Giovanna Lancellotti mostra que "dá match" com todas as personagens

GiovanNa Lancellotti, em entrevista ao Diário do Nordeste, fala sobre sua relação com o cinema e sobre suas expectativas para a sua nova personagem na TV, em "O Sétimo Guardião"
00:00 · 07.10.2017 por Ingrid Coelho - Repórter

A todo vapor, mas focando em uma coisa de cada vez. É assim que a atriz Giovanna Lancellotti define o momento que vive em sua carreira, na correria entre uma gravação e outra de mais um filme que entra para o seu currículo.

A atriz esteve no Ceará, nesta semana, para gravar as últimas cenas de "Não deu match" e se despedir da mimada Taís. Segundo ela, a única personagem da sua carreira com quem não tem uma única semelhança de personalidade. A previsão é que o longa invada as telonas na metade do ano que vem.

"A taís é uma menina patricinha, mimada, de família rica. Prestes a se casar com o Fábio (Gabriel Louchart), ela resolve vir para Fortaleza, porque ela foi influenciada por uma youtuber que ela adora, a Patrícia (Nathália Dill), e ficou achando que ela e o noivo são incompatíveis. É a única personagem que eu fiz e que não tem nada a ver comigo, porque ela é muito 'futilzinha'", descreve Giovanna.

Isso, no entanto, não é visto por ela de forma alguma como algo negativo. "Ela não tem nada a ver comigo, o que é maravilhoso, porque toda personagem que eu já fiz leva um pouco de mim, sempre tem uma coisa ou outra parecida, então é uma experiência diferente", acrescenta Giovanna.

Antes mesmo que a comédia romântica "Não deu match", com roteiro de Paulo Cursino e produzida pela Gullane Filmes, seja lançada, a atriz estrela "Festa da firma", que ganha os cinemas em dezembro. Giovanna Lancellotti também aguarda a estreia do longa "Intimidade entre estranhos", que sairá no próximo ano e filme no qual a atriz deu vida a personagem Karina.

Com aterrissagem recente no cinema, em 2015, com "Entre abelhas", ela destaca que, até o fim deste ano, ainda vai fazer mais um longa. "Não posso ainda falar qual, mas vou poder dizer em breve", adianta, em tom de quem não quer estragar a surpresa. Em uma "pausa" de um ano até a sua próxima novela (O sétimo guardião, de Aguinaldo Silva), ela ressalta que está amando fazer cinema.

"É um rumo que eu sempre quis buscar. Calhou de eu ter saído da novela e aí as coisas foram surgindo, naturalmente. Foi sem aquela correria de ter que fazer duas coisas ao mesmo tempo", diz Giovanna Lancellotti.

Novelas

Entre 2016 e o início de 2017, Giovanna Lancellotti viveu a mocinha Milena, em Sol Nascente, papel que lhe rendeu elogios, sobretudo pela atuação na mudança de fase da personagem, que passou de menina pacata, doce e tímida para uma mulher decidida.

Para a sua nova personagem na TV, Ronalda, em "O Sétimo Guardião", ela diz que está muito animada com a possibilidade de fazer mais "uma personagem bem diferente e acrescentar isso ao currículo". Ela deve interpretar uma jogadora de futebol, filha de um homem apaixonado pelo esporte.

Ao ser questionada sobre os desafios de Ronalda e se já começou a fazer alguma oficina ou atividade que a auxilie no domínio da bola, ela responde sem pestanejar que ainda não tem muita ideia do que estar por vir: "Ah! Não sei nada, nem li ainda, gente!", diz. "Nunca pensei em fazer algo assim, que envolvesse futebol. Vai ser uma atividade nova aí para o meu currículo e uma outra arte pra eu entender e explorar", explica a atriz.

"Todos esses personagens que pedem algo que você não está acostumado a dar são muito válidos. Acho que (a personagem) vai ser desafiadora, mas não sei nada dela ainda, temos um ano pela frente e, por enquanto, eu tô no cinema", frisa Giovanna.

Comédia romântica

Primeiro assistente de direção de Johnny Araújo, diretor, para o filme "Não Deu Match", Diego Martins, explica que a comédia romântica é uma tendência que vem se solidificando cada vez mais dentro do cinema nacional.

"O filme é um projeto da Gullane já há algum tempo e aí veio o Gabriel Louchart, que é uma aposta da casa, a Nathália Dill, saindo um pouco desse registro de mocinha, e a Giovanna, que é de outra faixa etária e tem outro público", detalha Martins.