crescimento de 12,5%

Transações com cartão no NE somam R$ 158,9 bilhões

O Brasil apresentou um crescimento de 12,6% nas transações com cartão em 2017, somando R$ 1,36 trilhão ( FOTO: HELENE SANTOS )
01:00 · 14.03.2018

São Paulo. O volume transacionado com cartões de crédito, débito e pré-pago, no Nordeste, subiu 12,5% em 2017 ante o ano anterior, chegando ao patamar de 178,8 bilhões. Em 2016, o montante foi de R$ 158,9 bilhões. Considerando os dados relativos às cinco localidades, o Brasil apresentou um crescimento de 12,6% em 2017, movimentando R$ 1,36 trilhão.

Os dados são da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito (Abecs) e foram apresentados durante o 12º CMEP (Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento). Fernando Chacon, presidente da Abecs e CMO do Itaú Unibanco, projeta que em 2018 o volume transacionado alcance R$ 1,570 trilhão, representando um crescimento de 15,5% frente a 2017.

Apesar de ter apresentado um resultado semelhante ao da média nacional e do Sudeste (12,7%), a participação do Nordeste ainda não representa um quarto do peso da região que engloba os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, que representa 60,4% de todas as operações com cartões de crédito, débito e pré-pago. No ano passado, a parcela nordestina nas contas da Abecs indicava a soma de 13,2%. Norte (3,5%), Centro-Oeste (7,9%), e Sul (15,2%) completam a lista.

No ranking de volume movimentado, o Nordeste também fica em terceiro. O Sudeste lidera, com R$ 820,4 bilhões, com o Sul (R$ 205,8 bilhões) em segundo. Centro-Oeste (R$ 105,4 bilhões) e Norte (R$ 46,9 bilhões) aparecem na quarta e quinta posições. "Nós temos todos os instrumentos no Brasil, de segurança, para que os meios eletrônicos de pagamento tenham um protagonismo muito maior do que eles tem hoje", disse Chacon.

Perspectiva

Chacon destacou que a participação dos cartões no consumo das famílias subiu de 30% em 2016 para 32,6%, a qual, acredita tende a aumentar. A perspectiva é de que, em cinco anos, essa porcentagem dobre, chegando a pouco mais de 60%.

"De maneira geral, a gente percebe que aumentou a quantidade de usuários e a participação de carteira do usuário. Apesar da recessão, nós tivemos crescimento da indústria de cartões, e no ano passado, quando o PIB cresceu 1%, nós tivemos alta de 12,6%", disse.

Operações

Em 2017, os cartões de crédito movimentaram R$ 842,6 bilhões, alta de 12,4% ante 2016, enquanto os cartões de débito registraram elevação de 12,6% nas transações, para R$ 508 bilhões. A movimentação com cartões pré-pagos avançou 68,8%, para R$ 6,6 bilhões. A taxa de inadimplência nos cartões atingiu o menor patamar da série histórica da Abecs, de 5,2%, contra 6% em 2016.

Pela primeira vez, em 2017, o volume transacionado com cartões superou o uso do dinheiro físico. Segundo a Abecs, foram sacados R$ 1,31 trilhão em dinheiro no ano passado, "a um custo muito elevado e vemos oportunidade de ocupar esse espaço", observou Chacon.