Setor de energia

Mini e microgeração vão se tornar mais presentes no País

01:00 · 30.09.2017

Segmento que mais cresce no setor de energia, a geração distribuída deverá se tornar cada vez mais presente no dia a dia do consumidor. Se hoje o País conta com pouco mais de 15 mil unidades equipadas com micro ou minigeradores, a expectativa é chegar a 800 mil consumidores até 2023. Do potencial instalado hoje no País (167,8 MW), 70% são de geradores solares, com 120,1 MW, distribuídas em 16,7 mil unidades consumidoras. E o Ceará, estado com o segundo maior potencial em geração distribuída do País, atrás apenas de Minas Gerais, conta com uma potência instalada de 20,9 MW, distribuída entre 492 equipamentos fotovoltaicos e 23 eólicos.

> Usinas offshore devem impulsionar produção 

De acordo com o diretor de geração distribuída do Sindicato das Indústrias de Energia e de Serviços do Setor Elétrico do Estado do Ceará (Sindienergia-CE), Ricardo Correia, nos últimos anos, o número de equipamentos instalados no País cresceu cerca de 150% e até o final desde ano o número de unidades consumidoras que produzem energia deve chegar a 20 mil. "A gente acredita que até 2020 a gente tenha um incremento entre 150 mil e 200 mil novas conexões, o que representará um grande impacto para toda a cadeia do setor".

Ceará em destaque

Correia, que apresentará um painel no All about Energy sobre geração distribuída, diz que hoje os preços se tornaram viáveis para pequenas instalações. Para o diretor do Sindienergia-CE, dentro do cenário nacional, o Ceará deve continuar em posição de destaque, principalmente pela ambiente institucional. "O Ceará tem uma boa governança, com entidades do governo, sindicatos e câmara setorial, todos trabalhando com os mesmos propósito. E isso facilita muito o desenvolvimento do setor".

Fortaleza

Segundo o consultor em energia João Mamede Filho, quando foram lançados os primeiros projetos de energia solar para consumidores criou-se uma expectativa de ganhos que acabou não se concretizando. Segundo Joaquim Rolim, coordenador do Núcleo de Energia da Fiec, de modo geral, a geração solar é a mais adequada para os pequenos consumidores que pretendem aderir à mini e microgeração distribuída, considerando o custo dos equipamentos. Rolim destaca ainda que de acordo com o Atlas Solar Brasileiro, Fortaleza é a única capital com mais de 1 milhão de habitantes dentro do "cinturão solar".