BC e emissores

Empresas querem simplificar faturas

01:00 · 14.03.2018

São Paulo. O Banco Central e os emissores de cartões de crédito estudam uma maneira de simplificar a fatura mensal dos consumidores para facilitar a compreensão do que está discriminado no documento, afirmou ontem Isaac Sidney Menezes Ferreira, diretor de relacionamento institucional e cidadania do BC.

"Estamos, em conjunto com a Abecs (Associação das Empresas de Cartões de Crédito), buscando simplificar o formato das faturas", afirmou o diretor do Banco Central durante o 12º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento, em São Paulo. "As faturas de cartão de crédito são muito complexas. Nós precisamos fazer com que o cidadão tome melhores decisões e entenda sua vida financeira. Isso passa por uma fatura que seja mais simples de entender".

Segundo ele, há muitos números nas faturas de cartões, o que pode atrapalhar a tomada de decisão financeira. "Estamos em tratativas para que possamos ter o melhor diagnóstico e simplificar as faturas que os consumidores recebem".

Fernando Chacon, presidente da Abecs e diretor do Itaú, diz que as conversas também incluem entidades de defesa do consumidor. "A gente não acredita em uma padronização propriamente dita. A gente acredita na busca de cada vez mais clareza e transparência para a forma como o consumidor opta por pagar sua fatura", diz.

Situações únicas

Chacon afirma que o Brasil tem algumas "jabuticabas" que não existem no resto do mundo.

"No resto do mundo o consumidor recebe a fatura de R$ 100 e que o pagamento mínimo da fatura é R$ 15 ou R$ 20, depende do cliente. Ele opta por pagar alguma coisa entre o mínimo e o valor total da fatura e acabou".

"Aqui, tem o valor total da fatura, o valor que ele está rotativando (colocando no rotativo), o valor que ele tem parcelado, o valor do parcelamento anterior, o parcelado sem juros. A quantidade de informação que está disponível na fatura aqui no Brasil é muito grande", ressalta.

Para ele, é possível simplificar, usando conceito de design de serviços e ouvindo o que o cliente quer que seja apresentado na fatura.