Mercado financeiro

Bolsa cai 0,73%; e dólar sobe 0,22%

01:00 · 07.10.2017
Image-0-Artigo-2307345-1
Fortalecido sobre 20 das 31 principais moedas do mundo, o dólar chegou a R$ 3,160 nessa sexta ( Foto: CARLOS SEVERO )

São Paulo. A Bolsa brasileira devolveu nessa sexta (6) parte dos ganhos obtidos em sessões anteriores, quando bateu recordes nominais, mas ainda assim teve fôlego para fechar a semana no azul. O dólar ganhou força em relação à maioria das moedas do mundo, mas acumulou queda na semana. O Ibovespa recuou 0,73%, para 76.054 pontos, em dia de volume um pouco menor. Na semana, a Bolsa acumulou valorização de 2,37%.

O dólar comercial fechou em alta de 0,22%, para R$ 3,160. O dólar à vista subiu 0,73%, também a R$ 3,160. Na semana, porém, ambos registraram queda: 0,25% e 0,10%, respectivamente. No mercado acionário, a Bolsa testou novos recordes nesta semana e chegou a superar levemente os 78 mil pontos, mas não sustentou o novo patamar.

Nesta sexta, os investidores preferiram embolsar ganhos, de olho em dados de inflação aqui e de mercado de trabalho nos Estados Unidos.

Ações

Nesta sexta, 48 das 59 ações do Ibovespa fecharam em baixa. As 11 restantes conseguiram subir. Os papéis da Eletrobras lideraram as quedas do índice, ainda sob impacto da decisão do governo de adiar a entrada da empresa no segmento de Novo Mercado da Bolsa, que tem governança mais rígida. As ações preferenciais caíram 3,71%, e as ordinárias se desvalorizaram 3,07%. As ações da Petrobras caíram mais de 1%, por causa da queda dos preços do petróleo no exterior com a preocupação em torno da demanda pela commodity. As ações preferenciais da estatal caíram 1,32%, para R$ 15,69. As ordinárias caíram 1,21%, para R$ 16,37.

A mineradora Vale teve baixa nesta sessão. Os papéis ordinários caíram 0,40%, para R$ 32,14. Os preferenciais recuaram 0,54%, para R$ 29,64.

Câmbio

O dólar se fortaleceu entre 20 das 31 principais moedas do mundo. O CDS (credit default swap, espécie de termômetro de risco-país) subiu nesta sexta, após oito sessões de queda. O CDS teve alta de 0,41%, para 185,6 pontos. No mercado de juros futuros, os contratos mais negociados fecharam em baixa. O DI para janeiro de 2018 recuou de 7,460% para 7,440%. A taxa para janeiro de 2019 se manteve estável em 7,350%.