Artistas urbanos espalham poesia pela capital cearense como respiro à rotina caótica

Seja povoando o espaço digital ou se confundindo nos muros, versos de André Solidão, Davi Melo e Serginho Gouveia ressignificam Fortaleza