Já dado como morto, criminoso pede liberdade

A Polícia de São Paulo acreditava que 'Andrezinho da Baixada' estivesse morto, por participar de homicídios