Funcionário público teria ordenado furto de armas