18 anos após homicídios, ciganos serão julgados