Sobreviver é "cultivar" a esperança em territórios violentos

Para viver em territórios violentos, é preciso subverter estatísticas e reescrever a história

DOC