Paulo Cesar Norões: Bolsonaro e Camilo