Paulo César Norões: sanha arrecadatória