Paulo César Norões: Não precisa zerar tudo