Só 2% dizem ter mudado o voto depois do atentado