No Planalto, Cármen Lúcia pede para não ser chamada de 'presidenta'

A presidente em exercício chegou ao Planalto pouco depois das 15 horas, não usou a cadeira presidencial e optou pela mesa redonda de 13 lugares no gabinete presidencial