Lava Jato prende suspeito de ser 'homem mala' de Geddel

Em outubro de 2017, o operador financeiro Lúcio Funaro disse à PGR ter direcionado R$ 1 milhão a Geddel, dinheiro que teria recebido do advogado José Yunes, ex-assessor especial de Temer