162 movimentos disputam lugar na fila de moradia popular da capital paulista

As entidades têm nas ocupações de terrenos um dos principais instrumentos para pressionar o poder público a construir novas moradias para a população de baixa renda