Leitores e Cartas: o poder é efêmero