Presidente do BC, Ilan Goldfajn, defende reformas e ajustes fiscais

Para ele, os países em desenvolvimento sofrem com o que chama de “choques”: a normalização da política monetária em economias avançadas e os conflitos comerciais.