Vaivém: A disputa agora é no STF