Egídio Serpa: o mais difícil após eleições