Egídio Serpa: o algodão colhe esperança