Egídio Serpa: Na Ibiapaba, turismo da fé