Egídio Serpa: Eleição: os polos extremos