Egídio Serpa: Direita, esquerda e o caos