Ucrânia criticada por encenar morte