Israel adota lei que o define como 'Estado-nação do povo judeu'

A nova legislação também proclama Jerusalém como capital e o hebreu como a única língua oficial do país; a aprovação da lei gerou acusações de racismo contra a minoria árabe