Igrejas de Santiago sofrem ataques a bomba dois dias antes da visita do Papa

O Vaticano não se pronunciou. A presidente Michelle Bachelet disse que "em uma democracia, as pessoas podem se expressar, desde que seja de maneira pacifista"