Entre lágrimas, Malala afirma que retornar ao Paquistão é um sonho

O grupo terrorista talibã baleou a paquistanesa na cabeça em 2012, por conta de sua luta pela educação feminina