May defende cargo após demissões