Guerrilha pede perdão às vítimas