Explicação da Nicarágua sobre morte é insuficiente