Crio alega atraso de verbas e ameaça parar atendimentos

A instituição cobra R$ 6 milhões da Prefeitura. O Município alega desconhecer o motivo da possível suspensão