Dose dupla de sucesso

Com o "Nas Garras da Patrulha", não tem erro: é risada na certa. O programa, que investe na sátira e no teatro de bonecos, é sucesso tanto na Verdinha como na TV Diário

O humor tipicamente cearense dá o tom do programa "Nas Garras da Patrulha", no ar de segunda a sexta-feira, às 11h30, na Rádio Verdes Mares, e de segunda a sábado, às 19h30, na TV Diário.

O "Nas Garras da Patrulha s" estreou em 87, na Verdinha. Anos depois, devido ao sucesso, ganhou uma versão na TV Diário fotos: alyne cardoso

O semanal, que estreou na Verdinha em meados de 1987, se renova a cada ano. Sob o comando dos radioatores Cléber Fernandes, Djacir Oliveira, Ery Soares e Will Ferrari, o "Garras" satiriza, por meio de esquetes humorísticas, fatos intrigantes que marcam a cobertura jornalística de Fortaleza.

Durante meia-hora, são fixos os quadros "Editorial", com dissertação de fatos policiais verídicos ou fictícios; "Um Alerta", com advertência aos ouvintes quanto às ações criminosas da cidade e aos problemas específicos em vias e bairros e "Atrasadinho", que prioriza a reclamações dos ouvintes do programa.

As situações são encenadas com muito improviso e ousadia. "Na rádio, como não usamos os bonecos, as vozes são inspiradas em pessoas que conhecemos. Inclusive, um dos personagens criados por mim, Seu Otacílio, foi inspirado no meu pai", conta Cléber.

O uso do linguajar nordestino e a inspiração no cotidiano dos cearenses garantem uma identificação maior com o público, fazendo com que o programa se torne um dos mais populares da Verdinha.

"Interpretamos circunstâncias comuns da rotina de qualquer pessoa. O ouvinte acaba se vendo nas situações", explica Djacir Oliveira, o único remanescente da primeira geração do programa.

Os radioatores gravam o programa no estúdio

Will Ferrari, responsável por mediar o "Nas Garras da Patrulha", concorda. "O grande segredo do programa é realmente a linguagem", afirma.

Cléber, Djacir, Ery e Will fazem questão de dizer que os fieis ouvintes são essenciais para o semanal. São eles que sugerem algumas das piadas do "Garras". "Diariamente eles mandam dicas. Ajuda bastante", contam.

Com o início da Copa das Confederações, os radioatores se preparam para fazer comentários sobre os jogos. "Além disso, também imitamos alguns comentaristas esportivos cearenses, como o Tom Barros, Sérgio Pinheiro, Gomes Farias e o Wilton Bezerra", adianta Ery Soares, que, em 2008, foi um dos finalistas do quadro "Quem chega lá", do programa "Domingão do Faustão".

O sucesso do "Nas Garras da Patrulha" é tanto que, há cerca de 15 dias, ganhou uma reprise durante o "Show da Madrugada". O quadro, chamado "Humor na Madrugada", reúne os melhores momentos do programa no rádio e na TV e vai ao ar a partir de 2h30. "Apesar do pouco tempo e do horário incomum, a reprise tem sido bem aceita pelos ouvintes", garante Will.

Garras na TV

Com tanto sucesso na rádio, em 2000, o "Garras" ganhou um espaço na TV Diário. Para dar vida às vozes são utilizados bonecos, confeccionados pelo Circo Tupiniquim.

A parceria de 13 anos vem dando certo. Personagens como Coxinha, Tizil e Danduska fizeram tanto sucesso com os telespectadores da emissora, que se tornaram fixos na versão do programa televisivo.

Francisco Duarte, um dos manipuladores e responsáveis pela confecção dos bonecos, participa do "Nas Garras da Patrulha" desde o piloto. "Me sinto envaidecido por ter a oportunidade de participar do programa, desde o seu início", comenta.

Mesmo depois de tanto tempo, na Verdinha ou na TV Diário, o "Nas Garras da Patrulha", é sinônimo de diversão garantida.

JACQUELINE NÓBREGA
ESPECIAL PARA O ZOEIRA