Rock & reflexão

Dalwton Moura

Apinhado de novidades, o Forcaos 2006, promovido pela Associação Cultura Cearense do Rock - ACCR, tem começa hoje, ainda sem o som das guitarras no talo. É o Seminário Forcaos, que pretende consolidar a proposta do evento, em ir bem além da velha tríade “Sexo, drogas e rock ´n´ roll”. A programação de palestras e debates acontece no auditório do Centro de Humanidades da Uecee tem início às 9h, com a abertura oficial do evento, que este ano recebe apoio da Prefeitura de Fortaleza e, em sua interface de shows nos dias 21 a 23 de julho, ganha as ruas para chegar mais perto do público

A idéia nasceu como um contraponto bem-humorado dos amantes de várias vertentes roqueiras àquele evento que embala multidões atrás do trio elétrico - e das cordas de contenção dos sem-abadá - a cada final de julho, em Fortaleza. Promovido pela Associação Cultural Cearense do Rock (ACCR), o Forcaos ganhou peso ano a ano, desenvolvendo um intercâmbio entre bandas locais e convidadas de outros estados e incorporando novas idéias.

Novidades como as da sétima edição, que pela primeira vez acontece uma semana antes do “evento inspirador” - os shows rolam de 21 a 23 deste mês. O espaço também é novidade: o “cruzamento do rock” em Fortaleza, na rua José Avelino, na Praia de Iracema próximas a referenciais da cena rock alencarina, como o Hey Ho Rock Bar. De acordo com a organização, a antecipação se deve a questões de segurança e serviços essenciais, que ficam comprometidos quando realizados em paralelo com a micareta de Fortaleza.

Mas as novidades do Forcaos 2006 fazem com que o festival tenha início hoje, ainda que não propriamente com som ao pé do ouvido. O Seminário Forcaos - Muito além do sexo, drogas e rock ´n roll acontece hoje e amanhã, no auditório da Universidade Estadual do Ceará. Às 9h, a abertura oficial do evento fica por conta de Amaudson Ximenes, da ACCR, Afonso Sousa (assessor do gabinete da prefeita Luizianne Lins) e Francisco José Damasceno, da UECE. Logo em seguida, experiências de selos musicais brasileiros que trabalham práticas de economia solidária e autogestão serão abordadas por Sérgio Giacomassi (da Non Fashion Records, de São Paulo, responsável pela distribuição de um catálogo de vários lançamentos em todo o Brasil) e pelos fortalezenses Joseli Lobo (do selo Nocaute Discos) e George Frizzo (sociólogo e integrante de diversas bandas). À tarde, a própria experiência do Forcaos será tema para o papo entre Amaudson Ximenes e Fábio Giorgio, de São Paulo, pesquisador, produtor cultural e artista gráfico.

Fábio estará lançando por aqui o livro “Na Boca do Bode”, que retrata a cena musical de Londrina-PR no início dos anos 70. Uma época em que apareceram para o público nomes que fariam história na chamada Vanguarda Paulistana, como Arrigo Barnabé e Itamar Assumpção. Com projeto gráfico arrojado e várias ilustrações, o livro descortina a cena movida pelo impulso criativo e por um forte caráter performático e contestador, mesmo em meio às dificuldades impostas pelo regime militar.

Já amanhã a troca de idéias se inicia às 9h30min, com o tema “Falando sobre sexo, drogas e rock ´n roll: por uma política pública de redução de danos e prevenção às DSTs e à Aids” sendo discutido por Carlos Augusto, técnico da Prefeitura de Fortaleza, e Lucas Gurgel, músico e estudante de filosofia. Fechando o seminário, a partir das 14h, as sociólogas Glória Diógenes e Abda Medeiros abordam as relações possíveis entre o rock e o combate à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Também fazem parte da programação de atividades extra-palco uma palestra sobre divulgação de bandas “underground”, com Samuel Souza, correspondente regional da revista Rock Brigade (dia 18 de julho, na sede da ACCR, no bairro Monte Castelo) e o workshop do guitarrista paraibano Edu Montenegro (dia 22, na Escola Viva Música Viva), que pelo segundo ano seguido integra com seu trio a programação musical do Forcaos, se destacando em um show instrumental no contexto de um festival de rock. Já nos dias 21, 22 e 23, é se preparar para conferir bandas locais e de vários estados brasileiros, no ecletismo de uma programação que inclui do emocore ao deathmetal, entre bandas reveladas em outros projetos da ACCR, como os shows no calçadão da associação, e grupos que já acumulam bagagem e tempo de estrada. Mais uma vez, em Fortaleza julho é tempo de rock.

SERVIÇO: Seminário Forcaos. Hoje e amanhã, no Auditório do Centro de Humanidades da Uece (Av. Luciano Carneiro). Informações: 3281-2126 / www.accrock.org.

Programação de shows

Sexta-feira, 21/7
No Fake
Lavage
Asfixia
N.I.T.S.
Not4Sale
Unidade Móvel (PB)
Edu Montenegro (PB)
Inner Imensity (DF)
Dago Red
Piron Heron

Sábado, 22/7
Betrayal
Rabhujos (PE)
Facada
Winds Of Creation (DF)
Obskure
Disgrace and Terror (PA)
Clamus
Expose Your Hate (RN)
Diagnose
Dominus Praelli (PR)

Domingo, 23/7
Viridian
13 Rock Dale
3 DC
Versos do Avesso
Canino Song
Dalila no Caos (PB)
Notificados
Macula
Alegoria da Caverna
Astronautas (PE)