Bergman: a extensa produção de uma vida dedicada à sétima arte

Ler

ESTOCOLMO - O diretor sueco Ingmar Bergman, que morreu nesta segunda-feira aos 89 anos de idade, realizou ao longo de sua vida, dedicada à sétima arte, dezenas de filmes que compõe uma das mais importantes filmografias do século XX.

Este é o resumo de suas principais produções:
- "Crise" (1945)
- "Chove em nosso amor" (1946)
- "Um barco para a Índia" (1947)
- "Música na noite" (1947)
- "Porto" (1948)
- "O demônio nos governa" (1948)
- "Juventude, divino tesouro" (1950)
- "Quando as mulheres esperam" (1952)
- "Mônica e o desejo" (1952)
- "Uma lição de amor" (1954)
- "Sonhos de mulheres" (1955)
- "Sorrisos de uma noite de amor" (1955)
- "O Sétimo selo" (1956)
- "Morangos Silvestres" (1957)
- "O rosto" (1958)
- "O olho do diabo" (1960)
- "Através de um espelho" (1961)
- "O silêncio" (1963)
- "Para não falar de todas essas mulheres" (1964)
- "Stimulantia" (1965)
- "Quando duas mulheres pecam" (1966)
- "A hora do lobo" (1967)
- "Vergonha" (1968)- "O rito" (1968)
- "A paixão de Ana" (1969)
- "A hora do amor" (1971)
- "Gritos e sussurros" (1972)
- "Cenas de um casamento" (1973)
- "A flauta mágica" (1975)
- "Face a face" (1976)
- "O ovo da serpente" (1977)
- "Sonata de Outono" (1978)
- "Da vida das marionetes" (1980)
- "Fanny e Alexander" (1982)
- "Depois do ensaio" (feito para televisão mas que depois foi para o cinema) (1984)
- "Saraband" (filme exibido pela televisão sueca em 2003 e posteriormente lançado para o cinema em 2004).